Notícias

O que mudou no Brasil em 20 anos: um mergulho em duas décadas de história do Target Group Index

Estudos especiais da Kantar IBOPE Media revelam transformações no consumo, na forma de comunicação e nas características da sociedade brasileira

 

São Paulo, 10 de outubro de 2019 – O mundo está em constante evolução e as mudanças estão acontecendo cada vez mais rápido. O Target Group Index, estudo da Kantar IBOPE Media sobre os hábitos e comportamentos da população, chega agora aos seus 20 anos no Brasil refletindo essa história.

O Target Group Index evoluiu junto à sociedade: seus insights revelam os comportamentos de milhares de brasileiros. “Dados e informações são a maneira de entender o passado e o presente, e de planejar o futuro. Acompanhamos muitas transformações no estilo de vida, na tecnologia, no consumo, na sociedade. O século XX terminou de forma muito diferente do que começou. O século XXI em apenas poucos anos já se transformou. E essas mudanças vão continuar”, explica Melissa Vogel, CEO da Kantar IBOPE Media no Brasil.

Conectados com a experiência

O quanto mudamos nas duas últimas décadas? A conexão móvel, por exemplo, se tornou um item fundamental no dia a dia do brasileiro. A popularização do aparelho deu um salto em apenas seis anos. Em 2013, 20% da população declarava possuir um smartphone. Em 2019, esse número saltou para 85%. Os smartphones passaram a permitir que o consumidor esteja sempre conectado, com múltiplos serviços e conteúdos disponíveis na palma da mão.

E não para por aí. A forma como enxergamos as marcas também mudou. Ao olharmos as cinco marcas mais valiosas notaremos que há diferenças entre 2006 e as atuais. Antes, marcas vinculadas a bens de consumo, como China Mobile, GE, Coca-Cola, Marlboro apareciam à frente. Hoje, as marcas mais valiosas proporcionam algo que vai além do produto. Amazon, Apple, Google e Visa, por exemplo, são marcas desejadas por proporcionarem novas experiências de consumo, com grande apelo tecnológico e inovador.

Um olhar para a Comunicação

Os impactos dessas mudanças causaram uma verdadeira revolução no comportamento e na comunicação entre pessoas nos últimos 20 anos. Tudo passou a ser mais instantâneo e a agilidade na troca de informações remete a isso. Enquanto em 2001 apenas 11% declararam enviar e receber mensagens instantâneas (uso de Whatsapp, Skype, entre outros), em 2019 esse percentual saltou para 85%. Já o uso de e-mails subiu de 15% para 55%.

Outro marco importante nas duas últimas décadas: a explosão do vídeo como formato de conteúdo. Com a propagação de recursos, a evolução tecnológica, a popularização dos aparelhos celulares e a ampliação do acesso do brasileiro à conectividade, os consumidores têm mais escolhas e opções do que nunca quando o assunto é consumir conteúdo, em especial em vídeo.

O consumo linear e não linear de vídeo evolui: enquanto o número de pessoas que declarou consumir conteúdos lineares manteve-se estável entre 2000 e 2019 (de 94% para 91%), os que consomem conteúdo on demand, incluindo streaming ao vivo, já representam 85%. “O conteúdo sob demanda sempre existiu, mas em formatos diferentes. Com a expansão da internet e da conectividade, esse consumo sob demanda se multiplicou, mas sem tirar o espaço do consumo linear”, explica Melissa.

A mídia em si ganhou uma nova dimensão, além do papel consolidado como meio de informação, as pessoas passaram a consumir ainda mais conteúdo para se entreter. De 2001 para 2019, o número de entrevistados que valorizam o entretenimento na mídia passou de 60% para 81%.

O público passa a ser protagonista – Com o surgimento dos blogs, fóruns online e redes sociais, o consumidor passou a compartilhar seu próprio material. A produção de conteúdo em redes sociais, por exemplo, aumentou significativamente entre 2011 e 2019. Antes, 34% das pessoas declararam postar em suas redes e, agora, o número subiu para 69%.

E o que vem pela frente?

O consumidor, ainda mais empoderado e conectado, representa um grande desafio para marcas, meios e plataformas de mídia que precisam manter sua relevância em um mundo que continuará mudando. “Entender o seu público, conhecer seus hábitos, como se comporta, o que gosta, no que acredita, é parte essencial de preparar um planejamento de mídia eficaz. Compreender a audiência é o primeiro passo para otimizar os investimentos de negócio. O Target Group Index é uma ferramenta poderosa para este conhecimento. É uma solução que acompanha a evolução dos brasileiros, refletindo os anseios de uma população tão diversa e complexa. Agora apresentamos ao mercado o Target Group Index Audience Activation, que permitirá que os segmentos e perfis estudados pela solução sejam identificados na internet e disponibilizados em plataformas e veículos de mídia programática. Nossas audiências passam a ser ativadas no ambiente digital e em tempo real”, comenta Melissa.

Confira insights inéditos da onda de 20 anos do Target Group Index no site da Kantar IBOPE Media: https://bit.ly/35eLjjq

——-

Kantar IBOPE Media
A Kantar IBOPE Media faz parte da Kantar, líder global em dados, insights e consultoria. Oferecemos as mais abrangentes e precisas informações sobre consumo, desempenho e investimento de mídia, provendo aos clientes da América Latina dados para a melhor tomada de decisão. A Kantar IBOPE Media conta com aproximadamente 3.500 colaboradores e possui operações em 15 países latino-americanos.
Kantar
A Kantar é líder global em dados, insights e consultoria. Somos a empresa que mais entende como as pessoas pensam, sentem, compram, compartilham, escolhem e veem. Ao combinar nossa experiência sobre o conhecimento humano com tecnologias avançadas, as 30.000 pessoas que trabalham na Kantar contribuem para o sucesso e crescimento das principais organizações do mundo.