Artigos & Papers

Revelando o ambiente Social TV

Reality show é o gênero que mais gera atividade no Twitter entre os programas de TV aberta considerados na análise

O cenário midiático vive em constante transformação e requer o acompanhamento preciso e contínuo dos profissionais do mercado. O fenômeno Social TV se enquadra nesta moldura e está cada vez mais presente no cotidiano dos telespectadores, exigindo uma compreensão profunda dos hábitos de seus adeptos e seu impacto na indústria da comunicação.

Há alguns anos este fenômeno tem sido estudado pela Kantar IBOPE Media. Hoje, das pessoas que veem TV e usam internet simultaneamente, 42% fazem comentários na internet sobre a programação de TV durante a exibição, segundo dados da pesquisa Social TV divulgada esse mês.

A partir das informações do MW ITTR, solução da Kantar IBOPE Media que oferece em um mesmo ambiente a audiência televisiva combinadas com as variáveis do Twitter, foi desenvolvido um amplo estudo, que analisou 86 programas da televisão aberta, que geraram 12,3 milhões de tuítes, publicados por 1,2 milhão de autores. Os programas foram exibidos no período de julho a novembro de 2014 e o intuito do estudo foi mapear este ambiente em que a televisão e o Twitter são fortes aliados.

Alguns paradigmas são quebrados

Um dos primeiros insights deste estudo foi em relação aos gêneros de programação. Nem sempre os gêneros de maior participação na grade de programação são os mais tuitados. Mesmo ocupando um espaço menor na programação, com 2%, o gênero reality show é o mais comentado, com cerca de 40% de participação no total de tuítes do período. O gênero isolado acumula mais do que o dobro de tuítes dos três seguintes do ranking, ainda que o número de exibições de reality shows, durante o período analisado, seja menor. Já os programas de auditório acumularam quase a mesma proporção no total de tuítes e na grade de programação, com 16% e 13%, respectivamente.


BSH: Proporção de tempo que um programa /gênero utiliza do total transmitido pelo canal,dividindo a duração do programa pelo total de minutos transmitidos pela emissora num período.

Além do volume total, vale destacar também a importância da análise de desempenho dos programas e gêneros a partir do número de tuítes por exibição e por minuto. Desta forma, os programas são nivelados independentemente da sua duração e frequência na grade. Os programas de reality show, por exemplo, atingem 30 mil tuítes por exibição e 465 por minuto, valores muito superiores à média de todos os programas, que é de 2,5 mil e 34, respectivamente. As séries de TV aberta também apresentam números acima da média; o total de tuítes por exibição chega a 5,5 mil e de tuítes por minuto a 244.

Quando analisado o top 20 programas mais tuitados da televisão aberta, foi observado que metade é de exibição semanal e entre estes estão programas não só de reality show, mas também de auditório, humorísticos e shows, o que pode ser um indicativo de que o conteúdo do programa, em alguns casos, é mais relevante do que o tempo ou sua frequência.

Para compreender a relação entre dados do Twitter e audiência foi criado o índice de telespectadores engajados. Esta variável contabiliza o número de autores, a cada mil telespectadores, que possivelmente tuitou sobre o conteúdo assistido ao vivo. Novamente, o gênero reality show apresenta o maior potencial de conversão de seus telespectadores em comentadores, com cinco a cada mil, sendo que determinados programas deste gênero convertem até oito a cada mil. Alguns programas de auditório e de humor também se destacam, apresentando um índice de 4,5 a cada mil.

Outro fato interessante é que conteúdos relacionados ao entretenimento são os que mais movimentam os tuítes. Dos 20 programas mais tuitados, 19 são voltados para o entretenimento, sendo que sete deles pertencem ao gênero auditório.
Embora não tenha sido encontrada causalidade direta entre os tuítes e a audiência de televisão, a relação entre ambos é significativa. À medida que o cenário digital evolua, que o comportamento convergente se consolide e que a interação nas mídias sociais seja estimulada e difundida, mais estudos serão realizados para detectar padrões e consequentemente oportunidades neste ecossistema.